sábado, 3 de janeiro de 2015

Alerta: cuidados com a exposição das crianças ao sol

620440_img_principal_materia

As férias chegaram permitindo que as crianças passem a maior parte do dia brincando fora de casa. Os dias de CALOR INTENSO significam um alerta para os pais: antes de encarar o sol nos parques, praias e até mesmo nos centros das grandes cidades, é preciso tomar algunsCUIDADOS COM A PROTEÇÃO das crianças.

Conforme explica o médico pediatra Alexandre Gonzalo, da Paraná Clínicas, o excesso de exposição ao sol pode levar a QUEIMADURAS NA PELE, DESIDRATAÇÃO E ATÉ A INSOLAÇÃO. “Os sintomas são boca seca, mal-estar, pele quente, avermelhada e seca, dor de cabeça, febre, cãibras, transpiração excessiva, diarreia, vômitos e desidratação". Evite expor a criança ao sol entre 10h e 14h horas.

O médico afirma que o horário mais seguro para as crianças se exporem ao sol é ATÉ ÀS 10H E DEPOIS DAS 16H. Durante a atividade externa, é importante vestir os pequenos comROUPAS LEVES E CLARAS (que ajudam na absorção do calor), CHAPÉUS e BONÉS, ÓCULOS DE SOL e utilizar FILTRO SOLAR com fator de proteção de no mínimo 20 FPS.

“É importante oferecer sempre BASTANTE LÍQUIDO para as crianças e tentar frequentar ambientes frescos e ventilados. Outra dica é sempre fazer REFEIÇÕES LEVES e mais frequentes e com muitos alimentos frescos, bem higienizados”.

PROTETOR SOLAR

Reaplicar o protetor solar a cada duas horas é a melhor maneira de prevenir contra queimaduras solares.

Recomenda-se utilizar um filtro com fator de proteção solar (FPS) DE PELO MENOS 20. Caso a criança tenha a pele muito clara, pode-se aumentar a potência do FPS. “Quanto menor a idade, mais delicada será a pele do bebê e por isso mais cuidado deve ser tomado. Para as crianças abaixo de um ano, o ideal é utilizar filtro solar com FPS a partir de 30 e hipoalergênico”. 

Ele explica a importância de reaplicar o filtro durante exposição mais prolongada ao sol. “Geralmente depois de PELOS MENOS 2 HORAS deve-se repassar o produto na pele. Crianças com DOENÇAS DE PELE devem receber indicação de um pediatra sobre o produto mais apropriado”.  

HIDRATAÇÃO

Oferece água para a criança sempre que necessário para garantir que ela manternha o corpo hidratado.

Enquanto as adultos são aconselhados a tomar pelo menos dois litros de água por dia, o pediatra explica que o valor é variável de acordo com a criança. “As crianças, principalmente os menores de 9 anos de idade, tem NECESSIDADES HÍDRICAS diferentes das dos adultos. Recomenda-se, em geral, que elas tomem água conforme a sua sede”.

AGÊNCIA EUROPEIA DE SEGURANÇA ALIMENTAR:

0 - 6 MESES: 680 ml/dia (através do leite materno ou artificial)

6 -12 MESES: 800 a 1000ml/dia

1 - 3 ANOS: 1200ml/dia

4 - 8 ANOS: 1600ml/dia

9 -13 ANOS: cerca 2l/dia

O profissional ressalta que SUCOS E REFRIGERANTES NÃO DEVEM SUBSTITUIR A ÁGUAcomo solução para hidratar o corpo. “Estas bebidas não são suficientes para repor as perdas de água do organismo por não terem quantidades adequadas de substâncias (solutos) para esse fim”, afirma. Em casos de desidratação, Gonzalo ressalta que o ideal é procurar pelosSAIS DE REIDRATAÇÃO ORAL, disponíveis na rede pública e privada de saúde. 

EMERGÊNCIA

Diante de uma situação de emergência causada por uma insolação, o médico explica que a primeira preocupação é buscar BAIXAR A TEMPERATURA CORPORAL. “Pode-se dar banho de água fria ou acomodar a criança em um lugar fresco. É preciso buscar atendimento médico para prevenir outros danos, principalmente renais e cerebrais”.

Em caso de queimaduras, alivie o desconforto aplicando COMPRESSAS DE ÁGUA FRIA. “Se aparecerem bolhas, não fure. Procure atendimento médico nos casos mais sérios”.

Nenhum comentário:

Postar um comentário