domingo, 7 de julho de 2013

Como eliminar mofo?

mofo-bolor-inverno-alergias-650x350

Muito comum no inverno, o mofo, também chamado de bolor, é uma espécie de fungo que pode ser encontrado em qualquer lugar onde a umidade e o oxigênio estejam presentes. Seu crescimento e reprodução são feitos a partir da água, assim, lugares com umidade excessiva proporcionam boas condições para a sua proliferação. Mas conviver com isso pode trazer prejuízos para a saúde, como doenças respiratórias.

Alergia a mofo

A pneumologista Andrea Gimenez explica que asma brônquica e rinite alérgica são alguns problemas respiratórios agravados pelo mofo. Ele pode, ainda, ser responsável pelo desenvolvimento de doenças de hipersensibilidade, como pneumonite ou asinusite fúngica. Ela diz que podem aparecer também sintomas não alérgicos como irritação de mucosas ocular, dor de cabeça, náuseas, tontura, irritação de pele e fadiga. “O desenvolvimento de sintomas ou doenças relacionadas à umidade e ao mofo depende de uma série de fatores, entre eles tempo e extensão da exposição, concentração de microorganismos ambientais, suscetibilidade individual, doenças de base e imunidade específica”, afirma.

Nos ambientes fechados em que permanecemos por mais tempo é comum surgirem sintomas como congestão nasal, coriza, espirros, irritação na garganta, tosse, chiado no peito, falta de ar, prurido e obstrução nasal. Pessoas alérgicas, imunodeprimidas, com doenças pulmonares de base e crianças nos primeiros cinco anos de vida, com história familiar de asma, são as mais suscetíveis aos efeitos nocivos da umidade e da exposição ao mofo. “No caso de exposição ambiental a mofo, os indivíduos expostos inalam durante anos substâncias derivadas do fungo, suspensas no ar, que ao chegarem aos pulmões desencadeiam um processo inflamatório que culmina, em muitos casos, com fibrose pulmonar. A pessoa passa a desenvolver sintomas respiratórios limitantes e, em alguns casos, com necessidade de oxigenioterapia domiciliar”, explica a especialista.

Como prevenir o mofo

- Aumentar a ventilação local, reparar vazamentos, rachaduras, infiltrações e tudo o que permita a desumidificação do ambiente são os melhores métodos para prevenir o aparecimento de mofo em casa. É importante estar atento à condensação produzida em banhos muito quentes ou fervuras na cozinha, pois ajudam no acúmulo de umidade nas áreas mais frias.

- O vinagre é indicado para limpar as áreas afetadas, por conter ácido acético, que é capaz de combater o fungo.

- Evitar que a mobília fique muito encostada na parede também é uma medida muito importante. No caso de armários embutidos, recomenda-se colocar placas de isopor nas paredes, antes de instalá-los, ou então, dar uma distância razoável entre a parede e o fundo do armário.

- Caso todas as medidas tenham sido tomadas, mas o mofo continue a aparecer, uma mistura de água e água sanitária, na proporção de um para um, pode resolver o problema. Deve-se lavar a parede e enxaguar com pano úmido e esperar secar.

Nenhum comentário:

Postar um comentário