quinta-feira, 7 de fevereiro de 2013

10 passos simples para uma dieta saudável

tipoA

  1. Comer muito! Está mais do que provado que devemos fazer mais refeições ao longo do dia para controlarmos melhor o apetite e não enchermos os pratos durante o almoço e o jantar. Para começar, nunca descure o pequeno-almoço: afinal, com tanta variedade à escolha (vários tipos de pão, cereais, iogurtes, café, leite, chá, sumos e batidos naturais) esta é uma refeição para desfrutar ao máximo – basta levantar-se 5 minutos mais cedo ou deixar tudo pronto de véspera – garantimos-lhe que não há melhor forma de começar o dia! Depois, coma de três em três horas, ou seja, faça um pequeno lanche a meio da manhã, a meio da tarde e antes de se deitar (este último só se realmente sentir um vazio no estômago!). Dê por onde der, não salte nenhuma refeição!
  1. Água = 0 calorias! Quer melhor aliado para uma alimentação regrada? Sempre que possível, opte pela água em detrimento dos refrigerantes e dos sumos. O consumo diário ideal desta “bebida milagrosa” é de 1,5 a 2 litros e para que não lhe custe a engolir este hábito, pode beber chá (sem açúcar!) ou adicionar algumas gotas de limão, folhas de hortelã ou menta à sua água para um sabor refrescante e apetecível.
  1. Fruta e legumes ao poder! Para além de emprestarem um colorido irresistível ao seu prato, fazem realmente bem! Em vez de acompanhar o seu bife com arroz, batata frita e salada, que tal apenas uma boa salada com um bocadinho de tudo (alface, tomate, milho, queijo, nozes… até escrito aqui já tem bom aspecto!); ou então, salteie legumes (se não tem tempo de os arranjar, compre os congelados, depois é só aquecer o tacho!). Faça uma boa sopa para iniciar ou preencher qualquer refeição ou até um arroz recheadinho de legumes – existem muitas formas deliciosas de introduzir mais vegetais à mesa – seja criativo e em pouco tempo não vai viver sem os seus legumes! Outra forma fácil de introduzir vegetais no seu quotidiano é na hora do lanche – quem diz que não pode comer uma cenoura a meio da manhã? O mesmo aplica-se à fruta – as bananas, as maças e as peras foram feitas para viajar, por isso, não saia de casa sem, pelo menos, uma peça! Se estiver em casa, prepare sumos de fruta naturais, misturando e experimentando novas receitas (aqui os legumes também podem entrar!).
  1. Carne ou peixe? Ambos e distribuídos irmãmente ao longo da semana. Sempre que possível, substitua a carne vermelha pela carne branca (frango e peru), que tem um teor de gordura reduzido, e opte sempre por grelhar a carne em vez de fritar. Relativamente ao peixe, procure incorporá-lo mais vezes nas suas ementas semanais porque, para além de ser uma fonte de proteínas, é rico em Ómega 3, que faz maravilhas à nossa saúde! Com vários tipos de peixe para experimentar, pode ainda variar na forma de o confeccionar – grelhado, assado, cozido…
  1. A escolha dos lacticínios. Opte sempre pelas variedades magras no que toca aos lacticínios – leite, iogurte, queijo – pois, para além de terem metade das calorias da variante “gordo”, também têm cinco vezes menos colesterol. O argumento diz tudo!
  1. Branco vs integral. É certo e sabido que os hidratos de carbono refinados, como o pão, o arroz e a massa branca, não satisfazem o nosso apetite tão bem quanto as variedades integrais. Outros motivos para escolher sempre alimentos integrais incluem: têm poucas calorias, diminuem a absorção do colesterol, fornecem energia, são um precioso aliado para o funcionamento correcto do tracto digestivo e intestinal. Está convencido?
  1. Hora dos snacks. Apetece-lhe qualquer coisa e o primeiro instinto é ir até a pastelaria ao lado do escritório ou abrir o pacote de bolachas Oreo que está na dispensa? Pode fazer bem melhor do que isso! Para além da fruta e dos legumes que referimos em cima, o lanche pode ser preenchido com uma variedade de opções saborosas e saciáveis: iogurtes de colher ou líquidos (pode comer um diferente todos os dias graças à diversidade existente!), um pão integral com queijo fresco ou fiambre magro, barras de cereais, tostas e bolachas integrais, uma mão cheia de nozes ou amêndoas (não há melhor para sossegar um apetite voraz!), a nossa velha amiga bolacha Maria… diversifique e bom proveito!
  1. Dizer não a… Claro que uma dieta para corpo e mente sã exige alguns sacrifícios, mas se pensar que essas pequenas abstenções vão trazer-lhe grandes benefícios, não lhe vai custar nada! Elimine a palavra fritar da sua cozinha, substituindo-a por grelhar ou assar. Diga não, uma vez por todas, aos alimentos processados industrialmente (doces, bolachas, batatas fritas, refeições pré-preparadas ou congeladas), assim como qualquer alimento que contenha as palavras “gordura parcialmente hidrogenada” no seu rótulo – deixe-o na prateleira do supermercado.
  1. Reduza o sal e o açúcar! O sal em excesso é uma bomba para o nosso coração, mas felizmente existem muitas outras formas de temperar, deliciosamente, os nossos alimentos. Experimente especiarias e ervas aromáticas que nunca usou, mas não recorra à manteiga, à margarina ou ao óleo para cozinhar – prefira sempre o azeite. No que toca ao açúcar, não pretendemos que o expulse da sua alimentação, mas sugerimos uma redução no número de colheres que diariamente coloca no café ou no chá – no início pode custar, mas em pouco tempo estará mais que habituado! Caso não saiba, o açúcar disfarça-se de várias formas – glicose, frutose, sacarose, maltose, dextrose, melaço e xarope – por isso, há que estar sempre atento aos rótulos para não ingerir o que não quer!
  1. E as tentações? Seguir uma dieta saudável e equilibrada não significa que nunca mais poderá comer uma bela fatia do famoso cheesecake que só a sua mãe sabe fazer, nem mandar vir umapizza numa sexta-feira à noite depois de uma semana cansativa ou deliciar-se com um refrescante gelado numa tarde de Verão. O que seria de nós sem estes pequenos prazeres da vida? Desde que seja a excepção e não a regra, saboreie essa mousse de chocolate até à última colherada e sem sentimentos de culpa!

Nenhum comentário:

Postar um comentário